Madre Basilea (Drª Klara Schlink, abaixo à esquerda, 1904 – 2001), doutorado em Psicologia na Universidade de Hamburgo, 1934 – foi líder do Movimento Cristão das Estudantes Alemãs. Madre Martyria (Erika Madauss, abaixo à direita, 1904 – 1999), Faculdade de Treinamento para Assistência Social, em Hamburgo e Londres.

Muitos anos antes do início da Irmandade, Deus preparou as nossas Madres fundadoras para o seu futuro ministério, orientando-as para viverem sem nenhuma segurança terrena, somente na dependência dEle, o seu Senhor. Ao deixar que Deus fosse o seu único auxílio e refúgio em qualquer situação, elas foram treinadas na confiança e fortalecidas na fé, para mais tarde serem capazes de conduzir toda nossa obra por este mesmo caminho.

Madre Basilea e Madre Martyria tomaram uma corajosa posição cristã, durante o regime de Hitler. Quando era a presidente nacional do “Movimento Cristão das Estudantes Alemãs” (1933-35), Madre Basilea recusou-se a compactuar com a política nazista, que impedia aos judeus cristãos de participarem dos encontros e reuniões. Durante a II Guerra Mundial ela arriscou a vida e a carreira, falando publicamente sobre o destino singular de Israel, o povo de Deus. Convocada duas vezes a comparecer perante a polícia de segurança nazista pelo fato de proclamar o senhorio de Jesus Cristo, permitiram-lhe que saísse ilesa, a despeito de sua firme postura. Madre Martyria mantinha estudos da Bíblia para jovens e também ensinava-lhes o Antigo Testamento, que  era proibido durante o regime de Hitler.